quarta-feira, janeiro 31, 2007

Perfis Pretérito Perfeitos




Suely Mazola deixou o grande amor de sua vida por conta de uma simples tatuagem. Não admitia casar-se com um "rabiscado" - como bem chamava os tatuados - justamente porque o rabisco era eterno. E como o casamento é eterno, ficaria difícil viver eternamente com alguém que se deixa eternizar um desenho no corpo. Foi por isso que, quando finalmente deixou de chorar por Clodoaldo Brandão, o tal amor perdido, tatuado, de perfil apolíeneo e bronzeado, Suely reparou em Sandoval Aranha. O quase octagenário viúvo, por sua vez, procurava alguém com quem compartilhar suas cuecas sujas, seus lençóis sebentos, seu ronco, seu hálito, suas perebas na perna e, enfim, também o seu amor. Casaram-se pouco depois e as economias de Sandoval garantiram à recém Senhora Aranha uma festa imperial no "Clube dos Bons Moços", situado no centro de sua pacata cidade. Infelizmente, pela idade avançada do bom marido e, logo, também por sua quase nula taxa de espermatozóides, Suely Mazola Aranha teve dificuldades para ver nascer o filho com o qual sempre sonhara. Assim, não foi sem muito amor que ambos finalmente conceberam o pequeno Ismael, prematuro, nascido aos dois meses de gestação. Hoje, com dois anos de idade, ele é esse lindo e saudável bebê - única alegria da recém viúva, a Sra. Suely Mazola Aranha.

Moral da história: nos mijam e dizem "choveu"

3 comentários:

Cascarravias disse...

credo! essa foto me deu náuseas.

druida disse...

Talvez aos 40 essa pequenura de pessoa atinja a estatura do Zenão.

4rthur disse...

Perdeu, prêibói!