quarta-feira, abril 11, 2007


Manifesto Politicamente Incorreto

Vivemos tempos inquisitoriais e mais do que nunca é preciso andar nos trilhos, ainda que o trem venha sedento e desgovernado em nossa direção, indiferente ao apressar dos passos do andarilho. São tempos de cartilha, de dicionários, de significados e termos exatos, ainda que isso determine uma transgressão da ontologia, na hipocrisia e no contradizer dos fatos.
Somos ratos.

Vivemos tempos inquisitoriais e mais do que nunca transgredir é preciso, ainda que seja obrigatório obedecer ao limite de velocidade, munido de cinto de segurança e air bag, é verdade – caso tenha sobrado algum trocado para o equipamento.
Ande lento.

Vivemos tempos inquisitoriais e mais do que nunca imprecisão é preciso, ainda que às esferográficas tenham se juntado corretores líquidos, e líquido e certo seja o dever do oprimido de não errar um erro não de todo incorreto.
Seja esperto.

Vivemos tempos inquisitoriais e mais do que nunca é preciso nadar, contra e a favor da corrente, o mais que seja conveniente, por mais que a gente se (des) oriente e assim se pense não sair do lugar. São tempos de seguir a trilha, mesmo que a primeira milha desse caminho inusitado seja ainda um troço a desbravar.
Saia do lugar.

Vivemos tempos inquisitoriais e mais do que nunca é preciso troçar, confundir, rir, mangar, provocar, irritar, desafiar. São tempos de transformar o tabu em totem, ainda que, notem, não se saiba nada de Freud ou Oswald de Andrade. São tempos de sacanagem, ainda que sacana mesmo sejam os corretos e boa parte de suas politicagens.
Rir para não chorar.

Mas são tempos de vanguarda, ainda que a retaguarda, pelo valor estratégico e pela simples piada, seja algo a se pensar e, sobretudo, resguardar. Do contrário, serão sempre tempos inquisitoriais, de corretos sisudos e convictos boçais, de tempos inquisitoriais, somente e nada mais, mas que, porém e aliás, são tempos de vanguarda, onde a sorte está guardada, aos loucos, cínicos e àqueles poucos sentimentais.
Seja mais.

10 comentários:

marcos disse...

Irado! O texto é a sua cara...

4rthur disse...

Ê viva! ê viva! Ê viva!

Vamos abrir as gavetas mágicas do sr. Lyra!

gigi disse...

Genial, mais uma vez.

revolution_9 disse...

Lyra,

Seu texto está lá, com todas as pompas e elogios que vc merece, e o link divulgando o seu blog. Abraços!!!

luciene disse...

Diogo Lyra você é sensacional! Pena que é tímido...
:(

Henrique disse...

Bato palmas e peço permissão para declamá-lo na Taverna.

Diogo Lyra disse...

Fala galera, obrigado por todas as considerações!
- Valeu Gigi e Marcola, pelos elogios sempre tão intensos.
- Arthur, já tinha te mostrado esse anteriormente?
- Revolution, muitíssimo obrigado pela moral. Visitei e comentei...
-Luciene, realmente sou tímido, mas como ser diferente se você pode até ser Luciano, no lugar de Luciene?! Brincadeira...
- Pakkatto, é claro que vc pode se apropriar de qualquer coisa que gostar neste blog!

Fui!

luciene disse...

Ai, que horror!!!! Diogo, é claro que eu não sou Luciano! Não gosto muito dessas coisas, mas farei minha página de orkut e você logo logo vai me conhecer, viu?!
Beijos.
;)

Diogo Lyra disse...

Desnecessário...

SAMANTHA ABREU disse...

adorei isso:
"a sorte está guardada, aos loucos, cínicos e àqueles poucos sentimentais."

é a vida.. mas que bonita, que esquisita, que bendita!