sábado, junho 30, 2007


Vez por outra nosso Fundo de Quintal Literário trará até vocês algumas das melhores postagens de outros blogs, procurando, assim, superar suas próprias limitações criativas e, sobretudo, homenagear as mentes em atividade na rede. Assim, dando prosseguimento à série, um post original de:


Viviane Duarte


Pra quê tomar um porre

pra afogar as mágoas, meu caro?

Se elas sabem nadar tão bem,

em águas profundas,

lágrimas de olhos rasos,

na saliva doce e no suor amargo

que desagua em vocês, cascatas,

quando se encontram?


Pra quê tomar um porre

pra afogar as mágoas, meu caro?

Engole seco,

essa secura infinita,

que essa sede nada mata,

que é vã a tentativa

de curar a ferida,

de extirpar esse mal

num só golpe

ou seria num só gole?


Pra quê tomar um porre

pra afogar as mágoas, meu caro?

Vá pra casa,

que amanhã o ciclo continua,

e segue seu rumo em zigue-zague,

hesitante, cambaleante,

o rumo natural das coisas.


Uma prosa aconchegante e uma xícara de café.
Para saber o que a mineira tem, tire também sua

8 comentários:

Diogo Lyra disse...

Belas e sábias palavras que, para além de um simplório apelo à sobriedade da mente, clamam pela sobriedade do espírito!

Lindo Vivi!!!

Cascarravias disse...

I abstain!!!

Roberta disse...

Adoro essa série!

Vivi disse...

Ai, Diogo, puxa, fico lisonjeada, mas acho que tem coisa melhor que isso lá no meu "brog" (rsrsrs) E tudo lá tem ar de brincadeira, sem pretensões literárias, ok. Foi grande a surpresa! Fico feliz pela homenagem do "culpado" por eu voltar a blogar...Sua opinião vale muito!

Vivi disse...

Sei não...fiquei com vergonha...rs

Diogo Lyra disse...

Vivi, é como diria Marta Suplicy:

"relaxa e goza"!

SAMANTHA ABREU disse...

que coisa gostosa de se ler...
adorei, mesmo!

Parabéns Vivi!
obs: se a pretenção ainda não existe, vc deveria começar pensar a respeito. rsrsrss..
Beijos

Fabrício Fortes disse...

supimpa!
gostei muito.. e vou passar a observar mais de perto essa sorte de hoje..