sábado, março 10, 2007

Vez por outra nosso Fundo de Quintal Literário trará até vocês algumas das melhores postagens de outros blogs, procurando, assim, superar suas próprias limitações criativas e, sobretudo, homenagear as mentes em atividade na rede. Assim, dando prosseguimento à série, um post original de:

Samantha Abreu

"O amor é mais um labirinto"

Era isso o que eu pensava a cada vez que olhava pra ele, e me sentia como quando a gente acorda assustada no meio da madrugada. Sentia o chão fora do pé.

Já tinha tentado tantas coisas para esquecer, que para os outros, minha dor tinha virado comédia. Motivo de sarro, exemplos para amores mal vividos.

Tudo o que tinha de bom na vida estava nele: dignidade, carinho, compaixão e amor próprio. Isso tudo ficou perdido lá trás, em uma das milhares curvas que fiz para tentar sair desse lugar estranho e frio que é o coração quando vazio.

Eu queria tanto odiá-lo, tanto que tentava me convencer de repugnâncias imaginárias que pudessem vir dele. Mas, era como arrumar o cabelo no vento. Tudo fugia das minhas mãos.

Quando me vi sem saída dessa loucura torturante e vergonhosa em que me encontrava, resolvi matá-lo. Acabar com o que ele chamava de vida e com tudo que o fazia tão assustadoramente feliz, depois de ter me roubado tudo o que era importante.

Dei-lhe cinco tiros, quando na verdade, apenas um bastava. Foram cinco tiros de puro rancor, torpor, amor.Continuo no labirinto da frustração. Tudo o que me fora por ele roubado, com ele morreu.

* Conheça mais de Samantha Abreu em prosa e verso em

HAUTE INTIMITÈ


5 comentários:

Marcos disse...

Caramba, essa do conto é chave-de-cadeia!

SAMANTHA ABREU disse...

ahahahahahaa

sabe que achei mais bonito aqui!?
gostei da foto também!

muito obrigada! Muito! Muito!

Beijos!

fabrício fortes disse...

uau!
seco. triste. debochado..
bem bom

Diogo Lyra disse...

Então gente, tem muito mais de inde veio este! Eu, particularmente, sou fã e recomendo...

Gahyva disse...

Eu entendo a moça...