sábado, abril 14, 2007


Vez por outra nosso Fundo de Quintal Literário trará até vocês algumas das melhores postagens de outros blogs, procurando, assim, superar suas próprias limitações criativas e, sobretudo, homenagear as mentes em atividade na rede. Assim, dando prosseguimento à série, um post original de:

Tchello Melo


Newtonianas

quando eu me perco
penso
que estou na minha

quando eu me desespero
peso
o que me alivia

quando eu me arrependo
prendo
a carta de alforria

quando eu aprendo
pendo
para a poesia.


* Um olhar inusitado a frasear o inesperado. Sabe o que é?

9 comentários:

Diogo Lyra disse...

Tchello Melo, Tchellonius ou Marcelo Poeta - que importa a ordem ou o rótulo - é um dos meus poetas prediletos. Emabaralhador de palavras e sentidos, faz-nos sentir as palavras sem embaralhar o brilho...

marcos disse...

Muito legal. Vou lá.

SAMANTHA ABREU disse...

sem contar que o ritmo faz a gente ter a sensação de queda.... vai relaxando na cadeira...

amei.
tô indo lá.. correndo!

Leonardo disse...

Foda Tchello. Isso 'e que 'e poeteiro...

Tchellonious disse...

Sou-lhes indelevelmente grato pela predileção sem pré-direção!

Tamires disse...

Nossa adorei!
Poucas palavras,simples,mas de uma complexidade avaliativa muito interessante.

4rthur disse...

Tchello é foda. Bola as trocas, toca os brios, traz novo bralho às cartas do barilho!

Fernanda Alves disse...

Uôôôôu!
Clap - clap - clap!

NEO disse...

phoda...