terça-feira, julho 31, 2007


A EXISTÊNCIA TOMADA

Que a vida guarda surpresas para além do seu sempre súbito e traumático interrompimento ele sabia, mas refletia com dificuldades quando necessitava encarar o tema frente a frente. Não havia nada capaz de repô-la quando de seu
defloramento, nada passível de substituí-la quando de sua partida, nada, nada, nada que se aproximasse do cheiro específico, do gosto específico, da tangibilidade específica daquela existência já inexistente e, assim, despida de sentido orgânico.

Morreu sem saber do Cosmo, da grandiosidade do Universo. Morreu, quem sabe, se achando grande em demasia, quando era, na verdade, apenas mais um grão imperceptível na vastidão de um mundo complexo e repleto de mistérios tanto quanto de revelações. Sim, ela morreu. Esmagada. Num lampejo. E só.

Foi assim que, tomado por uma extrema agonia, o rapaz sensível trancafiou-se no quarto, aos prantos. Contudo, seu pai, que já não gostava nada daquela história de "budismo", enfureceu-se com a cena e ameaçou dizimar todo o formigueiro caso o filho continuasse fazendo escândalo tal qual um maricas...


12 comentários:

Cascarravias disse...

esse foi o melhor de todos. parabéns, caro artesão.

SAMANTHA ABREU disse...

uau Diogo!
teus momentos sem o mp3 estão se superando...
rsrsrss
Adorei esse!
Parabéns!

beijo beijo

Rosa disse...

Eu não mato formigas,mas leio com prazer todos os seus contos...
Beijos!

4rthur disse...

será que tratava-se de uma tanajura?

Roberta disse...

Hilário e surpreendente - não necessariamente nessa ordem!

marcos disse...

Hahaha, o pai enfurecido foi o melhor!

Anônimo disse...

blog mais criativo dos últimos tempos. parabéns.

thaís disse...

Mas que pai mais preconceituoso...
rsrsrsrsrsrs

Fabrício Fortes disse...

muito bom mesmo... os comentários fazem jus.. abração.

Tchellonious disse...

O fanstasma da formiga vai se regozijar ao se deparar em breve com a alma penada do pai severo.

Vivi disse...

A reencarnação pode reservar surpresas para o papito...

Sueli Fajardo disse...

Muito bom!!Mas, mesmo que tivesse tido mais tempo, ela não teria noção da sua pequenez. (rsrs)